sábado, 8 de agosto de 2009

Plantão de Notícias 9h.

*O ministro da Educação, Fernando Haddad, condicionou a liberação dos recursos de R$ 22 milhões para construir o campus da UFERSA em Caraúbas, à Lei de Desvinculação das Receitas da União (DRU).
Há cerca de 40 dias, Fernando Haddad prometeu construir o campus da Ufersa em Caraúbas. Agora a liberação dos recursos está condicionada ao andamento da DRU, que está pendente há vários anos aguardando aprovação na Câmara e no Congresso Nacional.
Por telefone, Haddad impôs a condição ao deputado Henrique Alves e ao senador Garibaldi Filho, quando estes se encontravam na Fazenda Esperança, ontem em Caraúbas.
De acordo com o ministro, com a DRU aprovada na Câmara e no Senado os recursos da Educação vão aumentar consideravelmente para investimentos e os recursos do campus de Caraúbas vão estar garantidos.
-
*O Ministério das Cidades vai apoiar a reestruturação das empresas de saneamento do país.

A Fundação Getúlio Vargas está desenvolvendo, em parceria com a CAERN, um projeto voltado para reestruturar a área de gestão da empresa. A proposta, apresentada ao ministro das Cidades, Márcio Fortes, poderá ser expandida para as outras concessionárias brasileiras.

A Caern está desenvolvendo um rigoroso programa de redução de perdas, aumento da substituição de hidrômetros e do número de ligações de água.
A preocupação em relação à adequada gestão dos serviços prestados pelas empresas de saneamento leva em conta os altos investimentos no setor. Somente o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal deve injetar R$ 40 bilhões para obras de saneamento até 2010.
No Rio Grande do Norte, os investimentos em obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário somam mais de R$ 650 milhões, entre recursos do PAC e de outras fontes.
-
*Os professores de Umarizal já somam quatro movimentações na cidade cobrando do Executivo a implantação do Piso Nacional dos Professores. A categoria não quer mais salário-base de R$ 465,00.
Os professores alegam que o prefeito não os recebe para negociar uma saída.
A primeira movimentação aconteceu no dia 2 de julho, sem representação sindical. No dia 29, os professores fundaram o sindicato. No mesmo dia, fizeram caminhadas pela cidade, passando em frente ao Centro Administrativo. Depois desses dois movimentos, o prefeito de Umarizal, Rogério Fonseca, recebeu os representantes da classe e ofereceu 5% de aumento nos salários. Os professores voltaram a se reunir no dia 6 e decidiram não aceitar a proposta.
Segundo a líder do movimento, “já foram enviados vários ofícios ao prefeito Rogério Fonseca, sem que este os receba para reabrir as negociações antes do início das aulas no segundo semestre."
-
*Consulta ao terceiro lote do Imposto de Renda será liberada na próxima segunda-feira. Os detalhes com Lívia Cristina da Agência do Rádio.
Clique e ouça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário