quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Plantão de Notícias das 09h


1. PCdoB apoia Dilma; PMDB faz cobrança

Aliado histórico do PT, o PCdoB vai apoiar a candidatura da chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, mas pedirá mudanças na política econômica. Dilma e o presidente Lula devem participar do ato político do 12 Congresso Nacional do PCdoB, amanhã à noite. Para 2010, além da reforma política, o partido quer garantir mudanças no atual tripé da política econômica.
---------------------------------------------------------------------------

2. Senado lava as mãos sobre os fura-teto

O Senado decidiu se eximir da responsabilidade de cortar os contracheques dos mais de 350 servidores efetivos que ganham acima do teto do funcionalismo público. O presidente José Sarney (PMDB-AP) admitiu ontem que a Casa não obedece à determinação de que ninguém pode receber acima de R$ 25.275 por mês — o subsídio de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) — porque ainda não há regulamentação do assunto por meio de lei. “Então, eu não posso ser responsabilizado por uma prática que vem sendo seguida não só pelo Senado como por todos os órgãos da administração do país.”
---------------------------------------------------------------------------

3. Morre o publicitário e apresentador Ronaldo Soares

Morreu vítima de uma parada cardíaca no começo da manhã desta quinta-feira (5) o publicitário e apresentador Ronaldo Soares. Há duas semanas ele foi internado no Hospital São Lucas com complicações respiratórias.O estado do publicitário se complicou nesta quarta-feira (4) e no início da manhã ele sofreu uma parada cardíaca. Além de trabalhar com publicidade, Ronaldo Soares também foi apresentador de TV. Entre outros programas, ele trabalhou no Empresas & Empresários, da TV Tropical.
------------------------------------------------------------------------------

4. Encenação combinada

Desde a tarde de ontem, oposição e governo sabiam bem que a proposta que vincula os reajustes dos aposentados e pensionistas do INSS aos mesmos índices aplicados ao salário mínimo não tinha chances de ser colocada em votação. Mas, diante de uma plateia estimada em mais de mil pessoas dispostas a criar na Câmara um clima de campanha eleitoral — com direito a palavras de ordem e vaias aos que se posicionassem contra seus anseios—, os parlamentares aproveitaram para fazer de conta que apoiavam a proposta e fazer promessas de empenho pela entrada da matéria na pauta. Uma tentativa de tirar o máximo proveito dos holofotes e da presença do público nas galerias.
---------------------------------------------------------------------------------

5. Magistrados criticam desobediência do Senado

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, está analisando a possibilidade de tomar alguma providência contra a Mesa do Senado, que optou por não aplicar, de imediato, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), da semana passada, confirmando a cassação do senador Expedito Filho (PSDB-RO).

Nenhum comentário:

Postar um comentário