terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Plantão de Notícias das 09h

1. Pivô das denúncias envolve PSDB no "mensalão do DEM"

Pivô das denúncias do "mensalão do DEM", o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa acusa o PSDB de também participar do esquema de caixa dois que teria sido montado pelo governador José Roberto Arruda (DEM) durante a campanha eleitoral de 2006. Quem atuou pelos tucanos na coleta de propina e distribuição do dinheiro a aliados políticos, segundo Barbosa, foi o próprio presidente da legenda no DF, Márcio Machado. Filiado ao PSDB há 14 anos, Machado assumiu a Secretaria de Obras do governo do DF quando Arruda tomou posse. Ele era cotado para ser candidato ao Senado na chapa que uniria DEM, PSDB e PMDB. À Polícia Federal, o ex-secretário Barbosa afirmou que Arruda irrigou sua campanha com dinheiro de empresas fornecedoras do governo. Teriam sido arrecadados ilegalmente de 2004 a 2006 R$ 56,5 milhões em contratos da Codeplan (Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central), empresa do governo então sob comando de Barbosa.
__________________________________________________________

2. Tucano atribui arrecadação em 2006 a tesoureiro

Secretário de Obras do Distrito Federal e presidente local do PSDB, Márcio Machado disse que atuou só como um amigo na campanha do governador José Roberto Arruda (DEM) em 2006. Ele negou que tenha arrecadado dinheiro de propina para pagar apoio de partidos ao então candidato.

Machado afirmou que a responsabilidade pela arrecadação de recursos era do tesoureiro de campanha e que tudo foi declarado legalmente à Justiça Eleitoral. Disse também que não falaria sobre o processo, pois seus advogados não tiveram acesso a todos os documentos da investigação.
________________________________________________________________

3. Sub de Arruda é afastado das obras da Copa de 2014

Um dos principais articuladores do governador José Roberto Arruda (DEM) no suposto esquema de propinas, Fábio Simão será afastado do comando das obras do governo para a Copa do Mundo de 2014. Simão atua como coordenador do comitê organizador de Brasília na Copa de 2014, além de ser ligado ao presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira. Ele foi afastado na sexta-feira do cargo de chefe de gabinete pessoal de Arruda. Como ontem foi feriado local no DF, a medida ainda não foi publicada no "Diário Oficial". Simão não foi localizado pela Folha.
________________________________________________________________

4. Serra classifica denúncias de "gravíssimas"

O governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência, José Serra (PSDB), classificou como "gravíssimas" as denúncias contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM). "Sem dúvida os fatos revelados, inclusive por filmes, são gravíssimos", disse. "Eu acho que a opinião pública requer mais explicações a respeito daquilo que aconteceu por parte do governo e da Assembleia Legislativa." Prefeito de São Paulo e uma das principais lideranças do DEM, Gilberto Kassab também disse que as denúncias são gravíssimas. "Se forem ratificadas as denúncias, que os acusados sejam exemplarmente punidos." Segundo Kassab, o caso prejudica a imagem do seu partido. Mas disse que a aliança com o PSDB será mantida.
___________________________________________________________

5. Direção do PT-DF não aceita que deputado do partido assuma

O PT do Distrito Federal não concorda com a possibilidade de o deputado distrital Cabo Patrício (PT) assumir o governo do DF. Primeiro-vice-presidente da Câmara, ele é o terceiro na linha sucessória e não foi atingido pelas denúncias. Enquanto isso, lideranças nacionais do partido foram cautelosas ao comentar as denúncias. O líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza, disse que as "imagens são incontestáveis", mas pediu apuração dos fatos. Ele afirmou que, apesar de se tratar da oposição ao governo, não se pode comemorar. "Não é bom para o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário