terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Plantão de Notícias das 09h




Minc e Serra defendem etanol em Copenhague

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), defenderam o etanol hoje, em Copenhague, como uma das principais iniciativas do Brasil para reduzir a emissão dos gases que causam o efeito estufa. Durante evento paralelo realizado pela Aliança Brasileira pelo Clima, Minc afirmou que a comunidade internacional não tem mais motivo para duvidar da sustentabilidade da produção brasileira do combustível renovável.
_________________________________________________________

Crise atinge Ministério Público do DF

Depoimento que liga o procurador-geral de Justiça do Distrito Federal, Leonardo Bandarra, e uma promotora, Deborah Guerner, a acusados de envolvimento no mensalão do DEM causou uma crise no Ministério Público de Brasília. Responsável pelas acusações de que o governador José Roberto Arruda (ex-DEM) mantinha um esquema de distribuição de propina a aliados, Durval Barbosa disse em depoimento à Polícia Federal que o governador teria, em 2007, prestado favores ao procurador e à promotora, entre eles debelar acusações de corrupção que circulariam contra os dois na internet. Reportagem da revista "Época" desta semana traz conteúdo de troca de e-mails na rede interna do Ministério Público do Distrito Federal ocorrida logo após o estouro do escândalo, no final de novembro.
__________________________________________________________

Para PT, reação de Temer faz "parte do jogo"

Dirigentes do PT nacional e em São Paulo evitam dar declarações que possam aumentar o mal-estar com o PMDB, mas entendem que as ameaças veladas do presidente da Câmara, Michel Temer, que julgam ser "normais no jogo partidário", não põem em risco a disposição peemedebista para selar a aliança com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) na campanha de 2010. Reservadamente, porém, petistas avaliam que o grupo ligado a Temer foi crucial para Orestes Quércia se eleger com folga à presidência do PMDB paulista, impedindo que peemedebistas ligados ao PT chegassem à Executiva do partido. A atitude foi interpretada como resposta do peemedebista ao PT e ao presidente Lula, que sugeriu ao partido que preparasse uma lista tríplice para Dilma escolher o candidato a vice.
____________________________________________________

PF pede hoje quebra do sigilo de ''mensaleiros''

A Polícia Federal começa hoje a segunda etapa da Operação Caixa de Pandora, com pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal dos envolvidos no chamado mensalão do DEM, entre os quais o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (que se desfiliou do partido), o presidente licenciado da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente (DEM), parlamentares e secretários de governo. O pedido consta de relatório parcial a ser entregue ao ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que preside o inquérito. De um total de 36 investigados, pelo menos 18 tiveram envolvimento no esquema confirmado com a perícia dos documentos apreendidos na operação, em 27 de novembro. O objetivo da quebra de sigilos é investigar se os suspeitos tiveram movimentação bancária superior à renda e indícios de enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro, detectados na primeira etapa da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O relatório vai requerer novas buscas e apreensões em residências e escritórios dos alvos.
_________________________________________________

OAB pede cassação de deputados

A seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) ingressará hoje com o pedido de cassação de oito parlamentares apontados no inquérito como beneficiários do "mensalão do DEM" de Brasília. Entre eles estão o deputado Leonardo Prudente e a líder do governo na Casa, deputada Eurides Brito (PMDB). Presidente da Câmara Legislativa, Prudente (DEM) pediu licença do cargo depois de ser flagrado em vídeo enfiando maços de dinheiro nas meias, após encher os bolsos da calça e do paletó. Eurides também aparece colocando em sua bolsa cinco maços de notas que pegou na mesa do ex-secretário Durval Barbosa, responsável pela gravação em poder da Polícia Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário