terça-feira, 12 de janeiro de 2010


Plantão de Notícias das 09h

Preço da cesta básica cai até 15% em 2009

Em São Paulo, a fatia do salário mínimo necessária para comprar uma cesta básica foi de 49,47%, menor percentual desde 1971. A cesta básica ficou mais barata em 16 das 17 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no ano passado. É o maior número de cidades com deflação no preço dos produtos básicos desde o Plano Real.
_________________________________________________________

Livro constrange aliado de Obama

Desde que os primeiros trechos começaram a vazar para a imprensa, na sexta-feira, o livro Game Change vem espalhando a discórdia pelos corredores do poder em Washington. As revelações bombásticas do livro sobre os bastidores da campanha de 2008 já puseram pelo menos um político na fogueira.
_________________________________________________________

Chávez fecha comércio

Conforme anunciado domingo pelo presidente Hugo Chávez, o governo venezuelano deu início ontem à fiscalização de lojas e supermercados, o que levou ao fechamento de 70 estabelecimentos que remarcaram seus preços. O ministro do Comércio, Eduardo Samán, afirmou que a desvalorização do bolívar, de até 50%, não deve afetar os preços, pois os custos dos produtos hoje à venda teriam sido calculados por um valor muito superior ao câmbio anterior, de 2,15 bolívares por dólar. Na sexta-feira, o governo anunciou que o câmbio passaria a 2,60 para itens essenciais, como de saúde e alimentos, ou a 4,30, no caso de supérfluos, a fim de impulsionar a produção nacional.
____________________________________________________

Governo reduz mistura de álcool na gasolina

O governo decidiu reduzir a quantidade de álcool misturada à gasolina de 25% para 20%. O objetivo é aumentar a quantidade do combustível renovável no mercado e, com isso, ao menos conter a alta de preço nos postos. A medida entra em vigor a partir de 1º de fevereiro e vale por 90 dias, até o início da safra de cana-de-açúcar.
_____________________________________________________

Arruda: investigações nas mãos de aliados

O fim do recesso foi antecipado para que a Câmara Legislativa do Distrito Federal começasse a analisar ontem o pedido de impeachment e as denúncias de corrupção contra o governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) e oito deputados distritais. Mas, já no primeiro dia da volta ao trabalho, a base governista blindou qualquer possibilidade de apuração do esquema denominado mensalão do DEM: tomou conta das três comissões de investigação e deu sinais de que tudo pode terminar em pizza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário