quarta-feira, 13 de janeiro de 2010



Plantão de Notícias das 10h

Filme sobre Lula pode influenciar eleição, diz 'NYT'

O filme “Lula, o filho do Brasil” pode influenciar a eleição presidencial deste ano. A avaliação é de reportagem do jornal americano “The New York Times”, publicada ontem. O texto diz que, apesar de Lula não poder concorrer à reeleição, espera transferir sua popularidade para a chefe da Casa Civil e “sucessora escolhida”, a ministra Dilma Rousseff. Cita o esforço dos produtores em exibi-lo para as classes mais pobres da população e questionamentos de opositores às intenções deles em lançá-lo este ano.
____________________________________________________________

PF dividirá dados da operação com Justiça Eleitoral

A Justiça Federal autorizou que a Polícia Federal compartilhe dados sigilosos da Operação Castelo de Areia, que investiga a construtora Camargo Corrêa, com a Justiça Eleitoral. O objetivo é apurar o suposto pagamento de propina a partidos políticos e agentes públicos, cujos nomes aparecem em uma extensa planilha apreendida na casa de um dos diretores do grupo. O pagamento, segundo a investigação, seria para garantir à empresa a vitória em licitações públicas.
_____________________________________________________________

Marina culpa a Casa Civil por polêmica

Pré-candidata à Presidência pelo PV, a senadora Marina Silva (AC) afirmou que os conflitos entre ministérios sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos provam a falta de coerência do governo. Marina, que deve enfrentar nas urnas a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, provável candidata do PT, responsabilizou o ministério pelos erros no processo. "A Casa Civil passar por cima de uma coisa assim [divergências] e levar para o presidente assinar, em um tema tão polêmico", disse.
______________________________________________________________

Lula diz que vai abandonar estilo "paz e amor" na eleição

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que está preparado para os ataques da oposição nas eleições deste ano e pediu que ninguém espere dele "o Lulinha paz e amor" de outras campanhas porque não é mais candidato. Ele disse que espera debate em alto nível, "programático", mas imagina que, pela ausência de propostas, os adversários tentarão atingir seu governo. "Pelos sinais que eu vi, pela ausência de discurso programático, vale chutar do peito para cima. O que eles não sabem é que eu sou capoeirista e, portanto, estou muito preparado para não deixar a coisa chegar no meu peito", disse em discurso a prefeitos de municípios com menos de 50 mil habitantes beneficiados com recursos do Minha Casa, Minha Vida, ontem à noite, em Brasília.
______________________________________________________________

"Estão subestimando a nossa isenção", diz presidente da CCJ

Conhecido pelo estilo durão em programa policial na TV, o deputado distrital Geraldo Naves (DEM) rebate a acusação de que é amigo de envolvidos na crise que abalou o governo do aliado José Roberto Arruda (ex-DEM). Naves é o novo presidente da Comissão de Constituição e Justiça, responsável por aceitar os pedidos de impeachment contra Arruda na Câmara Legislativa do DF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário